top of page

Roberta Godoi fala sobre o futuro da energia e cita exemplo de usina em funcionamento com bateria de lítio


Roberta Godoi - Vice-Presidente do Grupo Energisa / Renergisa
Roberta Godoi - Vice-Presidente do Grupo Energisa / Renergisa


O compromisso de levar soluções energéticas a todos os cantos do mundo foi expressado pela vice-presidente de Soluções Energéticas do Grupo Energisa, Roberta Godoi. Esta declaração foi o foco de sua palestra realizada nesta terça-feira (21) durante o 12º Seminário de Energia e Transição Energética, organizado pelo Sindicato da Construção, Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica de Mato Grosso (Sindienergia – MT).


Segundo a executiva, a empresa está presente em 97% do território nacional com o objetivo de promover transições energéticas significativas em todos os setores, atendendo às demandas de seus consumidores locais.


Roberta destaca a viabilidade de levar energia a locais inicialmente desprovidos de infraestrutura e desconectados do Sistema Interligado Nacional. Um exemplo disso é o case de sucesso da usina solar fotovoltaica que utiliza baterias de lítio, uma solução totalmente descarbonizada, com um projeto-piloto no Acre. A iniciativa já foi premiada internacionalmente pela inovação e o olhar para a sustentabilidade.


“A Vila Restauração é um case de sucesso porque consegue resolver um problema, que é o fornecimento de energia para uma comunidade isolada na Amazônia e, ao mesmo tempo, ajuda a reduzir as emissões de gases poluentes, porque substitui a utilização de diesel por energia solar, com confiabilidade na entrega para o cliente”, explicou.Quanto ao segmento de biometano, ainda pouco explorado no cenário nacional, a vice-presidente do Grupo Energisa ressalta que esta alternativa será o combustível do futuro, uma fonte limpa e de baixo custo. “O que nós estamos fazendo hoje é trabalhando, pensando no futuro e nas demandas dos novos clientes que virão, olhando para a energia como um todo. O biometano tem uma enorme possibilidade de crescimento no Brasil e promove a economia circular, uma vez que possibilita o aproveitamento de resíduos para a produção de energia”, completou.


No que diz respeito ao monitoramento das usinas, Roberta menciona a tecnologia robótica/digital como uma aliada crucial, fundamental para a tomada de decisões e o monitoramento a distâncias consideráveis.


"Posso ligar e desligar os equipamentos que estão em outros estados direto da nossa unidade de Uberlândia, em Minas Gerais. Por lá, monitoramos tudo em tempo real. Esta inovação contribui significativamente para impulsionar nossos negócios e garantir uma entrega de qualidade para o nosso cliente.", concluiu."


18 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page